imposto

 

Negócio sem CNPJ significa mais impostos e menos proteção patrimonial!

 

 

É isso mesmo que você leu no título. Um negócio desestruturado tem custos elevados e coloca o patrimônio do empresário em risco.

 

A estruturação de uma empresa, antes de qualquer coisa, deve se dar em sua formalização; direitos e deveres entre sócios bem definidos; escolha do tipo societário correto; enquadramento tributário adequado ao ramo de atividade, volume de negócios, faturamento, despesas, entre outros fatores. Tudo isso deve ser levado em consideração.

 

Na prática, sabemos que não é bem assim que ocorre. Negócios iniciam, como dizem, “na raça”, e somente após algum tempo o administrador percebe a importância de formalizar sua atividade.

 

Infelizmente, muitas vezes essa percepção é acompanhada de uma autuação fiscal ou restrição de algum bem do sócio, o que torna mais complexa, cara, e urgente a atuação dos profissionais encarregados de resolver o problema.

 

Entendemos a dificuldade de se iniciar um empreendimento no Brasil, tanto que admiramos os verdadeiros guerreiros que colocam a própria pele em risco em prol do desenvolvimento de um negócio, pagando impostos, contratando colaboradores, tomando crédito perante bancos para realizarem o sonho do empreendedorismo.

 

No entanto, é muito importante estar ciente dos perigos de se ter um negócio sem CNPJ ou desestruturado, que pode refletir em um alto custo fiscal e desproteção do empresário.

 

Isto porque, o Fisco, ao perceber suas atividades, irá tributar seu processo de compra e venda de mercadorias/serviços, utilizando os documentos que tiver à disposição (e não os tendo, irá arbitrar prováveis valores, o que pode fugir da sua realidade), além de tributar sua renda como pessoa física, uma vez que você não possui personalidade jurídica de empresa.

 

Além desse risco fiscal, você também corre riscos patrimoniais, uma vez que, como sua atividade é desenvolvida pela sua pessoa física, todo o seu patrimônio está envolvido, mesmo os que não fazem parte da atividade.

 

Assim, não só os seus equipamentos, mercadorias, insumos, créditos e valores relacionados à sua atividade respondem pelas dívidas, mas também o seu carro, sua moto, seus imóveis, seus ativos, tudo isso também poderá ser utilizado para cobrir as dívidas do seu negócio.

 

Portanto, é de suma importância que, se a sua empresa não está formalizada, você o faça em caráter de urgência, dando prioridade a este ponto tão sensível e tão importante do seu negócio, contando com profissionais contábeis e jurídicos de sua confiança, que poderão te ajudar a buscar a melhor formatação empresarial e tributária.